Govtech
Voltar para Lista

Projeto #292

VAMOS MUDAR O MUNDO JUNTOS!

Total moedas GOVTECH investidas neste projeto

12360

Link para protótipo

Proponentes
  • Susana Pinto
Área de intervenção
  • Erradicar a pobreza
  • Erradicar a fome
  • Saúde de qualidade
  • Educação de qualidade
  • Igualdade de género
  • Água potável e saneamento
  • Energias renováveis e acessíveis
  • Trabalho digno e crescimento económico
  • Indústria, inovação e infraestruturas
  • Reduzir as desigualdades
  • Cidades e comunidades sustentáveis
  • Produção e consumo sustentáveis
  • Ação climática
  • Proteger a vida marinha
  • Proteger a vida terrestre
  • Paz, justiça e instituições eficazes
  • Parcerias para a implementação dos objetivos
Descrição

Em 2012, 24.8% da população europeia (124.5 milhões de pessoas E-28) era considerada em risco de pobreza e/ou exclusão social. É urgente encontrar soluções inovadoras para apoiar causas sociais!

A Resposta são as empresas! Os negócios podem mudar o mundo!
“As empresas têm agora a oportunidade de trabalhar com as organizações sociais para resolver problemas em larga escala que nenhum ator pôde resolver sozinho”.
Drayton e Budinich 2010 - Harvard Business Review

Nascem as empresas “híbridas”
Empresas que combinam o modelo filantrópico com a busca de lucro, atualmente são cada vez mais comuns nos Estados Unidos, Europa e, recentemente, também na Ásia e na América Latina.
O poder transformador das cadeias de valor híbridas é enorme! - O mercado é uma ferramenta social

Existe um circuito de valor entre a relação de Figuras Públicas e seus seguidores que urge ser aproveitada. As F.P precisam de manter uma ligação ativa com os seus seguidores e fazer crescer a sua rede de contactos, aumentando a sua notoriedade. Os Seguidores têm interesse em acompanhar de perto as F.P que admiram.
Segundo a Marktest só em Portugal, três milhões de pessoas seguem uma figura pública no Facebook. Mas a utilização das redes sociais é cada vez menos eficaz; o alcance das publicações de F.P e empresas não é superior a 2% segundo a DMR.
A promoção das F.P nas revistas que tratam de divulgar a vida de celebridades, têm vindo também a cair face aos meios digitais.
A DoGoodToo nasce para lançar uma nova plataforma que suporta a criação de redes exclusivas entre Celebridades ou Líderes de Opinião Nacionais e Internacionais e os seus Seguidores criando um conceito novo, o “Social Funding,” para financiar causas sociais.
A participação das celebridades é consubstanciada pelo uso do novo aplicativo DoGoodToo para produzir uma mensagem simples com um vídeo e texto.
Essas postagens serão exclusivas para a DoGoodToo, que comercializa uma subscrição, permitindo o acesso a esta informação por parte dos seguidores a DoGoodToo disponibiliza uma nova forma de comunicar e interagir com as Figuras Públicas mais eficiente e exclusiva.
A DoGoodToo apresenta duas inovações; uma nova plataforma de relacionamento social online e um novo modelo de negócio em que 50% do valor angariado pelo DoGoodToo é entregue para causas sociais.
Outras entidades envolvidas são empresas que contribuem também para causas sociais e querem estar ligadas às Figuras Públicas.
A Misericórdia do Porto formalizou, em 28 de março de 2019, um protocolo de cooperação com a DoGoodToo, visando juntar Figuras Públicas, Empresas e Público em geral em torno de causas sociais.
https://www.scmp.pt/pt-pt/noticias/misericordia-do-porto-celebra-protocolo-de-inovacao-social-com-a-dogoodtoo_3
Noticia na VidaEconómica
https://www.vidaeconomica.pt/vida-economica-1/publicacoes/edicao-num-1780-do-vida-economica-de-12042019/anje/dogoodtoo-empresa-que-quer-juntar-celebridades-e-causas-sociais
As causas a apoiar serão inicialmente duas;
1. Violência doméstica – Casa de Autonomia
Sendo a violência doméstica um objeto social-problema com necessidade de desenvolvimento de respostas diferenciadas e em maior número, a Misericórdia do Porto vai usar a DoGoodToo para implementar uma Casa de Autonomia, operando em estreita colaboração com a Casa de Santo António. Esta resposta necessita, fundamentalmente, de imóvel adequado, ficando sob a orientação técnica da equipa da CSA.

2. Deficiência – Residências autónomas
Um dos fatores de falta de emancipação de pessoas com deficiência passa pela ausência de estruturas habitacionais devidamente adaptadas. Neste sentido, a remodelação de um ou mais imóveis, estrategicamente situados junto de transportes públicos, poderá permitir à SCMP ter um conjunto de habitações que possa facultar a este mercado específico, para alugar.
Ambas as causas contam já com dois padrinhos, Figuras Públicas mediáticas com largas dezenas de seguidores, nas redes sociais. No caso da primeira causa será a Catarina Raminhos, (http://brain.global/catarina-raminhos/) e no caso da segunda o Paulo Azevedo (http://brain.global/paulo-azevedo/).
O modelo de receitas baseia-se no pagamento por parte dos seguidores, por “post” exclusivo de cada Figura pública, ou pacotes de “posts,”. Numa licença anual no caso de empresas que pretendam associar-se e anunciar no sistema, ligando as suas marcas a figuras de renome e causas nobres. As causas a ser suportadas recebem 50% de todo o valor angariado pelo serviço.